QUEM SOMOS

FILHOS DO PASCHOAL Araraquara ficou enlutada, quando no dia 19 de novembro de 2014, Paschoal Gonçalves da Rocha, 72, deixou sua trajetória terrestre partindo para um plano superior. Infelizmente, o torcedor-símbolo da Ferroviária, chamado por muitos de Papa Afeano, nos deixou pouco antes da AFE regressar à 1ª Divisão em 2015. Há uma unanimidade entre a coletividade grená, que tem convicção, que após seu passamento, Paschoal, em outro patamar, passou a cuidar de sua sala no céu, com o mesmo zelo, cuidado, e esmero com que, aqui, tratou da Sala de Reminiscências Esportivas, maior acervo fotográfico da história da Ferroviária e do Esporte Amador. Além disso, todos associam o êxito grená no regresso à divisão cimeira à boa vontade de Da Rocha, imaginando as petições que o missionário grená deve ter feito ao Todo Poderoso, clamando por uma forcinha em prol da AFE. Quem duvida que Paschoal passou a clamar até mesmo para os ‘deuses do futebol’, trabalhando de forma incansável no andar de cima a fim de que os acontecimentos aqui em baixo saíssem a contento? Foi a estratégia adotada pelo Papa Afeano, para aliviar o sofrimento da torcida, após 19 anos nas divisões inferiores. O acesso à Primeira Divisão veio e imediatamente todos passaram a fazer referências à ‘pedra fundamental’ chamada Paschoal. A ‘Rocha’ que os afeanos jamais rejeitaram, no plano espiritual tornou-se a pedra angular. Ficamos pensando na alegria e contentamento de nosso amigo, observando e fotografando todos os acontecimentos de 2015.A gênese de sua doutrina O ilustre torcedor afeano nasceu em Araraquara no dia 27 de fevereiro de 1942, no bairro de São Geraldo, local onde passou toda a infância.Não havia na Morada do Sol quem não conhecesse o Paschoal, sempre a peregrinar pelas ruas da cidadela com o jaleco grená. Fazia questão de afirmar que só retirava o manto afeano na hora do banho e quando deitava para ter o sono dos justos.

Sempre estava pronto a ajudar na divulgação da marca Ferroviária, fosse através dos veículos de comunicação ou pelo boca a boca no cotidiano, ocasião em que relembrava com a comunidade as proezas do ex-clube da Estrada de Ferro, especialmente dos esquadrões das décadas de 50 e 60, período que Da Rocha tanto gostava de rememorar.
No final dos anos 70, Paschoal começou a colecionar fotos dos times amadores e o jornalista Wilson Silveira Luiz lhe sugeriu a criação de uma sala para guardar e expor os retratos. Com apoio do empresário Vicente Michetti, a sala foi inaugurada em 24 de maio de 1980. Ao longo dos anos o acervo foi aumentado, abrangendo todas as modalidades e também os eventos sociais. O esportista contou também com a colaboração incondicional do fotografo Tetê Viviani. Em 1985, Paschoal organizou o primeiro jogo de futebol entre padres e fotógrafos, tradição que completa 30 anos. Ele ainda atuou como organizador de campeonatos nos clubes Náutico, Araraquarense, 22 de Agosto, Ferroviária e União Skina.

Filhos do Paschoal

Filhos do Paschoal

Já em agosto, dia 25 a comemoração dos 03 anos do Museu foi no programa Manhã Jovem Pan FM 95,7 Araraquara com os programadores César Leite e Sra.Sônia(Tia do Café) e em 27 de outubro, o aniversário do Osvaldo Salvador

Grupo Filhos do Paschoal

Grupo Filhos do Paschoal

Com a desistência da Torcida Coração Grená em oferecer cafés da manhã ou da tarde,foi criado o grupo Filhos do Paschoal em 01 de outubro pelos seus filhos Artur e César e pelo amigo Rodrigo Coutinho Sossolote

Curta nossas Redes Sociais

Site desenvolvido por: Super Empresa